Lhasa Apso

Indicação: companhia.

Temperamento: dócil, calmo, paciente, brincalhão, fica bem sem o dono.

Tamanho: ideal em 25,4 cm.

Pelo: longo, exige cuidado, varias opções de cortes.

Cores: diversas: sólidas (de uma só cor), bicolor e tricolor.

História

O Lhasa Apso é uma raça antiga, criada durante séculos apenas pelos nobres e monges do Tibete. Lhasa é o nome da cidade sagrada da região e Apso poderá ter origem em cabra, devido à pelagem lanosa, ou leão, devido ao seu papel de protector de templos.

O Lhasa Apso é considerado um cão sagrado na sua Terra Natal. Os tibetanos acreditam que a alma de um homem virtuoso descansa no seu animal preferido, depois de morrer.

Como guarda de templos e mosteiros, ladrando furiosamente a desconhecidos, o Lhasa Apso é tido como um amuleto de boa sorte, mas teria de ser oferecido, não podia ser comprado. Assim, estes cães permaneceram desconhecidos do resto do mundo até ao início do século XX. Por volta da década de 1920, Dalai Lama começou a procurar apoios internacionais para a causa tibetana e ofereceu alguns cães desta raça como presente a diplomatas, sobretudo a britânicos.

A raça só se tornaria conhecida nos Estados Unidos da América uma década mais tarde. Mas a popularidade que conheceu foi imediata e em 1935 já tinha sido reconhecida pelo AKC, apesar de ter sido mal classificado como Terrier.